Feeds:
Artigos
Comentários

… yes we can…

It was a creed written into the founding documents that declared the destiny of a nation.

Yes we can.

It was whispered by slaves and abolitionists as they blazed a trail toward freedom.

Yes we can.

It was sung by immigrants as they struck out from distant shores and pioneers who pushed westward against an unforgiving wilderness.

Yes we can.

It was the call of workers who organized; women who reached for the ballots; a President who chose the moon as our new frontier; and a King who took us to the mountaintop and pointed the way to the Promised Land.

Yes we can to justice and equality.

Yes we can to opportunity and prosperity.

Yes we can heal this nation.

Yes we can repair this world.

Yes we can.

We know the battle ahead will be long, but always remember that no matter what obstacles stand in our way, nothing can stand in the way of the power of millions of voices calling for change.

We have been told we cannot do this by a chorus of cynics…they will only grow louder and more dissonant ……….. We’ve been asked to pause for a reality check. We’ve been warned against offering the people of this nation false hope.

But in the unlikely story that is America, there has never been anything false about hope.

Now the hopes of the little girl who goes to a crumbling school in Dillon are the same as the dreams of the boy who learns on the streets of LA; we will remember that there is something happening in America; that we are not as divided as our politics suggests; that we are one people; we are one nation; and together, we will begin the next great chapter in the American story with three words that will ring from coast to coast; from sea to shining sea.

Yes. We. Can.

… “overtime”…

como toda a gente sabe, não sou muito dada a horas-extra… sou menina pouco materialista, que trabalha para viver confortável, com direito a satisfazer alguns caprichos pelo meio… oras, pois acredito piamente que algum ser de outro planeta se apoderou do meu corpo e aceitou fazer overtime lá pelo sítio ultra-secreto onde trabalho… assim sendo, e reconhecendo que mais baixo não posso ir, devo confessar que ainda não são 9 da noite e estou prontinha pra dormir!!!! O Monte dos Vendavais vai ter de esperar um bocadinho… para mal dos meus pecados, pois claro… :(

há alturas do mês que esta é a única desculpa possível… e agora?!?

… just wondering…

I’m someone who is looking for love, REAL LOVE. Ridiculous, inconvenient, consuming, can’t-live-without-each-other LOVE.

muito daquilo que queremos dizer já foi dito. para grande frustração nossa, a maior parte das vezes já o foi da forma mais inteligente, engraçada e oportuna… mas não por nós. o que eu quero é o que a carrie disse… e agora?…

ontem foi dia de cohen em lisboa. eu por aqui estive roidinha de inveja… vinguei-me com doses extra de sex and the city… mas, aqui entre nós que ninguém nos ouve, continuo cheia de inveja da B., e em ânsias para saber, em detalhe, como foi…

desde que cheguei a terras de sua majestade…

fim de semana à porta. planos? não fazer absolutamente nada. não cumprir objectivos definidos. ignorar propositadamente as médias aceitáveis de produção…

estou cansada. ando tristonha. quero um verdadeiro verão – coisa estranha, visto que nem sequer gosto muito de calor! – acompanhado de super bock e tremoços, caminhadas à beira-mar, e torcer o nariz quando tenho de comer alface.

… tirando isso… bem… tirando isso, tenho saudadinhas do meu amiguinho T, que agora está a trabalhar noutro departamente e, por isso, nem sequer conseguimos almoçar juntos, quero voltar a estar cansadissíma porque me fartei de trabalhar (e não porque tive de parecer muito atarefada!), e quero continuar com as minhas lições de russo e polaco…

Plano? não fazer a-b-s-o-l-u-t-a-m-e-n-t-e–n-a-d-a. tenho dito. humpf.